O quadro acima retrata o Rei católico polonês Jan Sobieski III na vitoria contra os muçulmanos na batalha de Viena no ano de 1683.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Carnaval: temporada de pecados em que os homens se enlouquecem em tanta maldade.





A mídia nacional mostra-se preocupada com a crise econômica, que vem diminuindo a arrecadação de tributos e deixando estados e prefeituras em situação de insolvência, sem dinheiro em caixa para promover as festas de carnaval. Tais festas são conhecidas mundo afora pela sua nudez e sensualidade sem fim, disseminando os pecados da impureza, hoje aceitos como normais nos meios católicos modernistas.

A destruição da economia capitalista por leis tributárias confiscatórias está provocando uma recessão na economia brasileira, com claros reflexos na arrecadação. E os governantes republicanos, que sempre gastaram gordas quantias para promover o carnaval, estão ficando agora cada vez mais impossibilitados, vitimados pelo próprio veneno.

Isto prova que se não fosse o Estado promover essa nefanda festa pagã, a mesma não teria, assim como o futebol, o apoio popular insuflado pela grande mídia. Diferente seria no regime monárquico, onde o Rei, preocupado com a moralidade administrativa do Estado, jamais promoveria tal festa com o erário público. E se fosse realmente católico, ele preferiria dar a seus súditos exemplo do contrário, participando de procissões nas festas litúrgicas.

À ação destruidora do carnaval sobre a família e a sociedade soma-se, infelizmente, o silêncio do clero, que não mais combate a imoralidade nos sermões.


Vejamos então o que relata Santa Faustina Kowalska:


“Nos últimos dias do Carnaval, quando fazia a Hora Santa, vi Nosso Senhor no momento da flagelação. Oh! Que suplício inconcebível! Como Jesus sofreu terrivelmente quando foi flagelado pelos pecadores, como será o vosso encontro no dia do Juízo com esse Jesus a quem martirizais agora assim tão cruelmente? O seu sangue corria pelo chão e, em alguns lugares, o corpo começou a descarnar-se. E vi nas costas alguns dos seus ossos despidos de carne... Jesus silencioso, gemia e suspirava.”


E em outra parte do seu diário:


“Últimos dias de carnaval. Os meus sofrimentos físicos aumentaram. Procurei unir-me mais estreitamente ao Salvador, pedindo-lhe misericórdia para o Mundo todo, que enlouquece em tanta maldade. Durante todo o dia senti a dor da Coroa de Espinhos. Quando fui me deitar, não podia encostar a cabeça no travesseiro, porém, às dez horas, desapareceram as dores e adormeci, sentindo, contudo, no dia seguinte, um grande esgotamento.”

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

O Purgatório existe: é uma fornalha, e não um salão de beleza.





Realmente o modernismo católico vai aos poucos minando a fé dos católicos, embora em muitos destes haja ainda reservas morais que os preservam. Conversando com uma senhora, ela me disse que acreditava na existência do Purgatório, o que para mim foi uma surpresa, pois os católicos modernistas negam veemente sua existência e a do Inferno com um argumento falso sobre a Misericórdia de Deus.

Pois bem, essa senhora me contou que um padre (modernista, é claro) lhe havia dito que o Purgatório era como um salão de beleza para onde as pessoas vão após a morte, a fim de irem em seguida para o mais belo Paraíso. De fato devemos concordar que as almas chegam imundas ao purgatório, pois embora tenham se salvado pelo arrependimento de seus pecados, têm que pagar a pena devida. Daí a importância das indulgências e a correta devoção ao Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, hoje esquecidas da imensa maioria dos católicos.

Ocorre que o padre que falou tal leviandade dá a entender que o Purgatório seria um lugar onde as pessoas lavam e escovam seus cabelos, fazem suas unhas e passam um perfume. Ainda bem que não é assim, pois do contrário não haveria ali lugar para os homens. Só as mulheres é que passariam por lá.

Mas poderíamos dizer que o Purgatório é um lugar onde as almas se lavam dos pecados cometidos na vida terrena, mas nele o que lava não é a água, e sim um fogo, comparado ao do Inferno, com a diferença de que as penas do Inferno são eternas, enquanto as do Purgatório são temporárias.

De qualquer jeito, se há um lugar pelo qual eu não gostaria de passar após a morte é o Purgatório, e em vida, um “salão de beleza”.

Vejamos então o que diz Santa Faustina em seu diário:

“Em determinado momento, à noite, veio ter comigo uma das nossas irmãs, que morreu há dois meses. Era uma irmã do primeiro coro. Eu a vi num estado terrível. Toda em chamas, o rosto retorcido de dores. Isso durou um breve momento e logo desapareceu. Um tremor atravessou a minha alma, porque não sabia onde sofria, se no Purgatório ou no Inferno; contudo dobrei as minhas orações por ela. Na noite seguinte veio novamente, mas a vi em estado mais terrível, em chamas ainda mais intensas; no seu rosto estampava-se o desespero. Fiquei muito admirada porque, depois das orações que por ela ofereci, vi-a em pior estado e perguntei: “Não lhe ajudaram as minhas orações?” Respondeu-me que nada lhe ajudaram as minhas orações e nada ajudariam. Perguntei: “As orações que toda a Congregação lhe tinha oferecido, também essas não lhe trouxeram nenhuma ajuda?” – Respondeu-me que nenhuma. “Essas orações beneficiaram outras almas”. Disse-lhe então: “Se as minhas orações nada ajudaram à Irmã, peço que não volte mais a mim.” E desapareceu imediatamente. No entanto, não cessava de rezar. Depois de algum tempo, veio visitar-me novamente à noite, mas num estado diferente. Já não estava em chamas, como antes, e o seu rosto estava radiante, os olhos brilhavam de alegria e disse-me que eu de fato possuía verdadeiro amor ao próximo, que muitas outras almas tiraram proveito de minhas orações e encorajara-me a não deixar de rezar pelas almas que sofrem no Purgatório e disse-me que ela já não ficaria muito tempo no Purgatório.”


Em outra parte do seu diário encontramos:


“Vi o Anjo da Guarda que me mandou acompanhá-lo. Imediatamente encontrei-me num lugar enevoado, cheio de fogo, e, dentro deste, uma multidão de almas sofredoras. Essas almas rezavam com muito fervor, mas sem nenhum resultado para si mesmas; apenas nós podemos ajudá-las. As chamas que as queimavam não me tocavam. O meu Anjo da Guarda não se afastava de mim nem por um momento. E perguntei a essas almas qual era o seu maior sofrimento. Responderam-me, unânimes, que o maior sofrimento delas era a saudade de Deus. Vi Nossa Senhora que visitava as almas no Purgatório. As almas chamam a Maria ‘Estrela do Mar’. Ela lhes traz alívio. Queria conversar mais com elas, mas o meu Anjo da Guarda fez-me sinal para sair. Saímos pela porta dessa prisão de sofrimento. Ouvi então uma voz interior que me dizia: A Minha misericórdia não deseja isto, mas a justiça o exige. A partir deste momento, me encontro mais unida às almas sofredoras.



Para quem quiser conhecer mais testemunhos de Santa Faustina Kowalska sobre a existência do Purgatório, recomendo que deixe de lado a preguiça e comece a leitura de seu Diário.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

O holocausto católico na primeira e segunda guerra mundial. Episódios históricos à luz da Misericórdia Divina.









I – Introdução.



Ministra-se hoje nas aulas de História uma visão laica e atéia dos acontecimentos, de tal modo que, para passarem nas provas, os estudantes têm que decorar macetes de memorização, terminando seus estudos sem entender o verdadeiro significado de sua existência neste mundo criado para a maior glória de Deus.



quarta-feira, 7 de maio de 2014

Proibição da divulgação da divina misericórdia durante o período do concilio vaticano II no reinado do Papa João XXIII.









Muitos católicos veneram hoje os escritos de Santa Faustina Kowalska sem se darem conta de que sua divulgação foi proibida pela Santa Sé no Pontificado do Papa João XXIII (conforme documentos acima), recentemente canonizado pelo atual Papa Francisco no dia da Misericórdia do ano de 2014.



domingo, 15 de julho de 2012

O inferno existe e como é grande a sua extensão na visão de Santa Faustina Kowalska.





Devido a atual piedade frouxa dos católicos, somado à vitoria do modernismo católico após o Concilio Vaticano II que é, segundo o Papa São Pio X, a soma de todas as heresias, ou seja, em outras palavras pode-se dizer que o atual catolicismo praticado virou uma soma de todos os erros doutrinários criados por pessoas que desejaram ao longo de quase dois mil anos de história da Civilização ver o cristianismo desaparecer.

A única religião hoje que não prega a existência de um premio ou um castigo pós morte é esse catolicismo que aí está, com o argumento de que Deus sendo bom e Misericordioso jamais condenaria uma pessoa a um lugar de sofrimento. Inclusive chega-se a negar a existência de bom e mal, mentira e verdade, belo e horrendo.



terça-feira, 5 de junho de 2012

Marcha contra aborto, divorcio e casamento homossexual na Polônia.




No ultimo domingo dia 3 de junho de 2012 foi realizada a Marcha pela Vida, contra o aborto,  as práticas homossexuais e o divorcio. Ao contrário do Brasil onde várias cidades fazem com a omissão do clero católico a chamada passeata homossexual, que visa promover um pecado que “clama aos céus e a Deus por vingança”, quando tentaram fazer o mesmo na Polônia, os poloneses se levantaram e mostraram de forma categórica seu desacordo com a permissão dada para a passeata, ao que a prefeitura teve que proibir. (Ver Jornal O Estado de São Paulo de 21 de Março de 2007 – página A14).

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Destruição de Varsóvia na Segunda Guerra Mundial Profetizada por Santa Faustina Kowalska.




Dom Chautard em sua obra magister recordava que se em uma paróquia o padre fosse santo os fiéis seriam cristãos fervorosos, ou seja, sempre um grau a menos na vida espiritual. Se o pároco fosse fervoroso os fiéis seriam piedosos, se o sacerdote fosse piedoso os fiéis seriam católicos tíbios, se o pároco fosse tíbio a paróquia seria pecadora.

sábado, 5 de maio de 2012

Agredidos pela "tolerancia" dos ativistas homossexuais.




A revolução sempre utiliza de clichês ou palavras talismã para difundir seus ideais, por exemplo, criou propositadamente o termo preconceituoso e homofobia para intimidar os que são contra o casamento homossexual.
No ano passado alguns estados norte americanos realizaram plebiscitos e referendos para que a população escolhesse se o estado deveria permitir o casamento homossexual.

domingo, 15 de abril de 2012

Anticapitalismo e canibalismo: crimes cruéis




Somente os céticos e indiferentes fingem não ver para onde caminha a humanidade. Muitos brasileiros levaram um grande choque (mas ainda estão longe de acordar, o que certamente só ocorrerá quando vierem os castigos previstos em Fátima e Akita) com a notícia de que em Pernambuco um grupo matava mulheres para consumir sua carne e – pasmem – também rechear salgados que eram vendidos.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Ecologia: ódio revolucionário.





Existem “católicos” que acreditam e pregam o ecologismo por acharem que, utilizando os recursos naturais, o homem irá provocar a destruição do planeta terra.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Pascoa: Festa da Misericórdia





  Comemora-se na Páscoa a Festa da Misericórdia. Aliás, foi na Páscoa que Nosso Senhor Jesus Cristo comprou, com o seu preciosíssimo Sangue, a nossa salvação. Infelizmente muitos não dão a isso o devido valor, sobretudo pela falsa idéia da Misericórdia propagada hoje nos meios católicos.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Cristianofobia: misericórdia dos maus




Devido à tibieza de alma e à heresia modernista que assolam a Igreja Católica, entendem os atuais cristãos que qualquer culpa, qualquer pecado e dano já estão perdoados. Alguns chegam até a dizer que não deveria haver cadeias e penitenciárias.

Ora, a misericórdia consiste em perdoar a uma pessoa que tendo infringindo a Lei de Deus se arrepende e se reconcilia, fazendo de tudo também para ressarcir o dano e o prejuízo causado ao próximo, quando a falta o tenha lesado.

sábado, 3 de março de 2012

Católicos canção nova celebram coelhinho na Pascóa


Na cidade de Araraquara – mais precisamente na paróquia de Nossa Senhora Aparecida – será celebrada uma Páscoa nem um pouco tradicional. (http://nsenhoraparecida.com.br)

Para quem está desinformado, Araraquara é a cidade da ex-primeira dama do Brasil Ruth Cardoso, onde ela e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acompanharam palestra do comunista Sartre na década de 1960. É também berço de José Celso Martinez Corrêa, teatrólogo de orgias e, curral eleitoral de Edinho Silva Presidente do PT de São Paulo e estrela cadente da Canção Nova, que perdeu seu programa depois que os protestos via internet atingiram um ápice.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Poloneses protestam contra blasfêmia, homossexualismo e pornografia.




A TFP polonesa realizou um protesto diante do Museu Nacional de Cracóvia em 4 de janeiro, contra uma exposição pornográfica e blasfema da “artista” Katarzyna Kozyra, na qual, além de a cruz ser profanada, são promovidos o homossexualismo e o nudismo. Portando cartazes contra a promoção da pseudo-arte com dizeres como: “Isso não é arte, mas barbarismo!”, “Não queremos pseudo-arte imoral!”, “Não ao vandalismo cultural!”, os jovens ofereceram à “artista”, residente em Berlin, uma vassoura com a inscrição “Passagem para Berlim, só de ida”...(fonte:  www.catolicismo.com.br/index.cfm/mes/Fevereiro2012 ).